Amigos médicos, tem uma coisa que não sai nem da minha cabeça nem do meu suvaco. Para que diabos servem as cócegas? Porque, vamos lá, quase tudo no corpo tem alguma função. A dor serve para avisar que tem algo de errado, por exemplo. Pois, procurei na Internet e descobri que a teoria mais aceita é que as cócegas sejam um mecanismo de autodefesa. Hein? Acho que está mais para um mecanismo de tortura, muito utilizado por namorados e namoradas. Não quer lavar a louça? Tome-lhe cócegas no pé. Não quer sair da cama? Dá-lhe cócegas no suvaco. O texto também cita que as cócegas são usadas entre os macacos como um mecanismo de aproximação social. Mais ou menos como acontece com os seres humanos. Quem nunca se aproximou daquela gatinha do colégio fazendo cócegas inocentes? É engraçado também como nossos pontos fracos variam de pessoa para pessoa. No meu caso, meu calcanhar de aquiles fica onde deveria ficar mesmo: nos pés. Mas tem gente que sente mais cócegas no pescoço, no suvaco e até na barriga. Tive uma namorada que não me deixava tocar nos joelhos dela de jeito nenhum. Quando criança, eu e minha irmã tínhamos uma teoria de que só sentíamos cócegas porque não estávamos acostumados com o toque nestas determinadas regiões. Então, gênios como éramos, passávamos horas fazendo cócegas um no outro, tentando resistir, tentando se acostumar com aquilo. Totalmente em vão, claro. Continuo sentindo as mesmas cócegas, na mesma intensidade. Gargalhando e me contorcendo feito um idiota, gritando por Deus e Nossa Senhora Aparecida feito um condenado, clamando por piedade e chutando tudo que aparece pela frente como se fosse um maluco, só porque tem alguém passando o dedo na sola do meu pé. Somos mesmo muito frágeis.

Anúncios