Home

Para quem não sabe, plano-sequência é uma sequência de cenas sem cortes. Hitchcock tentou fazer um filme inteiro em um só plano-sequência (“Festim Diabólico”), mas a tecnologia da época exigia que ele trocasse o chassi do filme de tempos em tempos, então ele maquiou os cortes com close-ups. É um clássico.

Festim Diabólico

Hoje com a tecnologia digital temos vários filmes em plano-sequência. “Arca Russa”, do Sokurov, e “Time Code”, do Mike Figgis, são dois dos mais renomados. Este último divide a tela em 4 e apresenta 4 planos-sequências ao mesmo tempo.

Arca Russa (inteiro)

Time Code

O Silvino/Destino/Simão me apresentou semana passada o fantástico plano-sequência do filme Soy Cuba, de 64.

 

 

Daí separei alguns grandes planos sequências do cinema que eu gosto muito. Vocês vão ver que, na verdade, alguns são fakes e têm sim cortes escondidos, principalmente graças a tecnologia. Mas o efeito para o espectador é incrível.

A Marca da Maldade – Começando com este primor. A genialidade da obra-prima de Orson Welles inclui uma edição de som perfeita. Acompanhe. Imagine isso para a época.

Gravidade – Vamos saltar no tempo para um dos mais fantásticos que já vi na tela, mas que na verdade é fake. Só existe graças à computação gráfica. Mas o efeito é incrível. O mexicano Alfonso Cuarón levou o Oscar de Melhor Diretor.

Children of Men – Filme pouco visto do Cuarón, ele já mostrava talento para plano-sequência simulado pelos efeitos especiais.

Magnólia – Paul Thomas Anderson adora um plano sequência. Este aqui é bem interessante – feito num dos meus filmes favoritos.

O Segredo dos Seus Olhos – Fantástico plano-sequência neste grande sucesso argentino. Cheio de efeitos especiais. Só pra você saber, o estádio estava praticamente vazio.

Boogy Nights – Mais um do Paul Thomas Anderson, em clara referência a Marca da Maldade.

Quarto do Pânico – David Fincher usa de forma genial o 3D para criar objetos e elementos cenográficos com frestas por onde a câmera supostamente passa sem cortes. Ele simulou um plano-sequência de forma épica. Foi lindo de ser ver no cinema.

Kill Bill – Tarantino não poderia ficar de fora e também fez o dele.

Os Bons Companheiros – Scorcese brilha em mais uma obra-prima.

O Pagamento Final –  Este talvez seja o meu favorito dos vários planos-sequências de De Palma.

Os Intocáveis – Este do De Palma é brilhante. Câmera começa subjetiva e depois deixa de ser, num dos momentos mais tensos e tristes do filme. A trilha do Morriconne dá o toque final. De chorar, de tão lindo.

Atonement – Mais um que eu vi no cinema. Grandioso.

Olhos de Serpente – Filme fraco do De Palma, com mais um plano sequência. A piada fica pelo “cut! cut!”, logo no começo.

Fogueira das Vaidades – De Palma, de novo. E, novamente, em filme fraco.

Guerra dos Mundos – Spielberg simula um plano-sequência graças aos efeitos especiais, muita tecnologia e talento preciso.

Elefante – Filmaço lento e pesado de Gus Van Sant, tem este longo plano sequência pelo campus da faculdade.

O Iluminado – O clássico de Kubrick apresentou o primeiro grande uso para a Steadycam, equipamento que permite movimentos sem trepidações e sem trilhos.

The Mirror – Torkovsky adorava um plano-sequência.

Hard Boyle – John Woo já foi considerado o melhor diretor de ação do cinema. Veja porquê.

O Jogador – O meste Robert Altman fez esta preciosidade na cena de abertura do filme.

Notting Hill – Aqui temos um plano-sequência fake, ou seja, com cortes, para indicar passagem de tempo. Mas ficou bacana.

True Detective – A TV, quando imita o cinema, também proporciona momentos lindos. Aqui, a incrível True Detective nos entrega este plano sequência.

Game Of Thrones – Um dos episódios mais importantes da série teve este lindo e difícil plano sequência. Eu levantei do sofá e aplaudi em casa quando vi.

Vampire Weekend – A música é cheia de vídeos em plano-sequência. Coloquei este da minha música favorita da banda.

OK GO – Banda cheia deles, talvez a que tenha vídeos mais criativos. Coloquei este que gosto muito.

Radiohead – Um clássico da música e dos vídeos musicais.

Coldplay – Este deu um trabalho do cão para conseguirem o nascer do sol. Aceleraram a câmera de forma magistral.

Metronomy – Aqui, o talentoso diretor Michel Gondry usou o plano-sequência de forma bem criativa com um cenário bastante simples.

Spice Girls – E quem não lembra deste?

 

É isso. O cinema está cheio deles. Godard fez um muito legal em Week-End. Chan-Wook Park entregou o dele no Old Boy original. E você, lembra de algum incrível?

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s