Home

Temos três dias para entender o que está em jogo. E o que pode vir a ser a ditadura de 2019.

Não teremos tanques nas ruas, teremos bolsominions armados fazendo o serviço sujo do governo. Tocando o terror e espalhando o medo.

Não teremos escutas e batidas em casas no meio da madrugada, teremos nossas pegadas digitais vasculhadas na Internet num clique.

Não teremos só uma rede de TV porta-voz do governo, teremos limites no pacote de dados e a (des)informação distribuída pelo Whatsapp.

Não teremos receitas de bolos nos jornais, teremos o corte total de verbas públicas dos veículos de imprensa que fizerem oposição.

Não teremos PMs impedindo shows e eventos artísticos, teremos o corte total de verbas que sustentam essas apresentações.

Não teremos comunistas torturados nos porões, teremos honras e biografias destruídas pela rede de informação, com denúncias capengas e falsas. Teremos grupos violentos causando mortes e linchamentos.

Não teremos um censor prévio lendo roteiros e vendo edições de filmes e séries, teremos o corte total de verbas que sustentam as produções nacionais.

Não teremos uma lei de combate aos gays, negros e demais ditas minorias, teremos o consentimento e até o estímulo para que essas pessoas sofram nas ruas e no trabalho.

Com os diferentes pacotes de dados nas casas e celulares, ricos terão acesso livre à Internet. Pobres se contentarão apenas com o Whatsapp. A classe média, views limitados no YouTube e até Netflix. Tentaram a aprovação dessa lei ainda no governo Dilma, que vetou. Farão agora.

Será uma ditadura a canetada e Whatsapp.

Com a caneta, vão destruir a Cultura, a rede de bem-estar social, as estatais, nossos direitos, enfim, todo o presente e o futuro de uma nação.

Pelo Whatsapp, vão controlar a massa que dará sustentação por longos anos. Pedofilia. Incesto. Desvios. Roubos. Tudo será criado para a destruição da imagem – também da vida – do “inimigo”.

A cada morte ou espancamento, a multidão irá aplaudir o sofrimento de um petralha corrupto e pedófilo.

Enquanto isso, as negociatas e propinas, que nasceram lá na ditadura militar, continuarão a sugar as riquezas do país que estava prestes a se tornar a 5a maior economia do planeta.

Na Democracia, a gente pode votar, se arrepender e trocar. Até derrubar é possível, quando dentro da lei.

Na Ditadura, somos obrigados a engolir e a aceitar.

Não há outro caminho. Em nome do seu futuro e do futuro das pessoas que você ama, vote Haddad. Vote 13.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s