Brincavam. O de azul reclamou que o de vermelho ganhava todas. Os outros deram risada. Pronto, o de vermelho ganhou de novo e o de azul deu um tapa no tabuleiro. Obrigou o de vermelho a sair da rodada. Briga. Discussão. Não valeu? Recomeçaram. E o brutamontes, da turma do fundão, começou a trapacear. O de azul achou legal, estava tirando pontos do de vermelho. Os outros deram risada. Então, o brutamontes foi avançando, escondeu umas cartas, jogou os dados até dar o número que ele queria e a criançada foi curtindo, rindo. Daí o brutamontes venceu. Recolheu tudo e disse que não iam mais jogar. Chamou para o quarto do pai dele. Ali, escondida na gaveta, a brincadeira ia ser mais legal. Ninguém sabia por que o nome era roleta-russa.

Anúncios