O teto é de vidro e desaba dentro de túneis. Uma, duas e agora três barragens querem cobrir de lama o que já é um lamaçal de corrupção e ilegalidades. Morros vêm abaixo com a chuva e levam casa e vidas, como as decisões a canetadas desses de cadeiras de couro.

As pessoas estão deprimidas porque não têm emprego nem sonhos. Não ter o que comer é uma dor primitiva, não ter com o que sonhar é uma dor existencial.

O Brasil segue rachado como em 1500. Esses de roupas de marca seguem gastando dezenas de reais em restaurantes e milhares em condomínios. Protegidos do que chamam de sujeira pelas grades e vidros blindados.

“Pelo menos tiramos o PT.” O que uns dizem ser uma cegueira egoísta eu chamo de ignorância. De valores invertidos. O país desmorona como o prédio do Largo Paissandu, como o Palace 2. Criminosos brindam em Dubai e saem em iates de luxo de marinas de Miami. Riem em Dallas. Gargalham em Davos. Vendem o patrimônio e destróem o pouco que funciona.

O Brasil de verdade se contenta com o mínimo e não encontra forças para lutar contra os vencedores de sempre.

Foram cinco meses de imbecilidade e parte do país segue agarrado a mentiras e à frieza. Não existe amor em São Paulo? Existe. Existe amor no Brasil também. Mas ele mal tem espaço e pouco consegue fazer para trazer alento e futuro à maioria.

A desigualdade volta a aumentar e tudo bem. É assim que o país é. Idiotas os que embarcaram na falácia dos anos 2000. Os que ousaram acreditar. Que tentaram mudar. Que conseguiram sonhar.

Implodimos uma nação com medo de uma mamadeira de piroca e culpamos os artistas, os professores, os intelectuais e os cientistas. Enaltecemos filósofos de YouTube, humoristas do século XX e ressentidos.

Vamos logo fazer um banquete de agrotóxicos e brindar com um destilado gringo. Cachaça é para os pobres. Vamos comemorar nossa ignorância e nossa passividade. Vangloriar nosso talento em matar e causar sofrimento.

Viva o Brasil, viva o nosso povo. O brasileiro não desiste nunca de agir feito idiota. Parabéns, conseguiram mais uma vez destruir um país.

Que venha a próxima página de dor de nossa História. Que venha a nova esperança. Que venha a nova ilusão. Com as pessoas que mandam neste país – do Congresso a grandes empresas – só nos resta sofrer.

Não reclame. Trabalhe. Para os exploradores e para manter a roda de desigualdade girando.

O Brasil é mesmo brasileiro.

Anúncios