Talvez seja o filme mais autoral do diretor espanhol, uma volta ao passado e um testamento sobre vida e arte.

É daquelas obras que fazem a gente pensar sobre nossos próprios sonhos e paixões e sobre o nada que fizemos para ir atrás.

É sobre talento.

Rever Antonio Banderas – no melhor papel da vida dele – e ainda Penélope Cruz é de matar.

É o Cinema Paradiso do Almodóvar.

Assistam.

Anúncios