Nossa frágil democracia começou de fato com Collor e se encerra com Bolsonaro.

Já foi dito que a Nova República chegou ao fim e é fato.

Como Sarney foi uma transição, teremos outra pós-Bolsonaro.

Tudo será diferente a partir de agora. Viveremos um novo Brasil e um novo mundo.

A estrutura política que manteve o sistema corrupto dos anos da ditadura e a segregação social não foram resolvidas pela Nova República, alguns passos foram dados, mas a mudança necessária não ocorreu.

O brasileiro sabe disso e procurou o que acreditava ser o novo, enganado por mentiras, manipulações, ignorância e muito poder e dinheiro por trás.

Votou errado como em Collor. As peças se moverão como lá. Não vai durar.

Como será a transição dessa vez? Ainda pior, para que provoque a mudança verdadeira é necessária.

O que vivemos de 1992 a 2014 nunca mais voltará a se repetir.

Vivenciar essas mudanças é uma dádiva, principalmente num país que viveu 21 anos sob ditadura militar.

A transição será dura e tardará alguns anos.

Porém, vira um novo ciclo. Ainda melhor. Mas só depois da agonia do fim.

Anúncios